segunda-feira, 6 de maio de 2019

O QUE ACONTECE ENTRE A MORTE E O RETORNO?

                                          

 (Esse artigo é o resultado de uma conversa real que tive com um amigo pela Internet. Algumas edições foram feitas para se adequar ao gênero do artigo- mas a essência da conversa foi preservada. Agradeço ao Aramísio pela grande oportunidade de dissertar sobre esses assuntos tão importantes e que confundem tanta gente. )

Pergunta:A minha dúvida é a seguinte: Se o Eu Superior de uma pessoa é a centelha divina que está nela, ou o próprio Deus, quando uma pessoa que viveu aqui uma vida totalmente dissoluta sem ter se preocupado em nada em relação a Deus, e morre sem ter sido iluminada o que acontece com esse Eu Superior, se ele é Deus e inseparável dele?! Se ela não foi iluminado vai ter que retornar. E o que acontece com ela entre a morte e o retorno? Uma pessoa tem que ter algo eterno, em si, além do Eu Superior ?

Alsibar: Deus é a essência do universo. Ele existe tanto nas coisas animadas quanto nas inanimadas. É a Luz, a essência de tudo que existe. Ninguém sabe exatamente como é isso porque não é material . Termos como : luz, centelha divina, alma, essência, átman etc são apenas palavras para descrever o que não pode ser descrito, nem entendido pela limitada mente humana. Os próprios cientistas estão à procura dessa essência divina que eles chamam de  Bóson de Higgs ou Partícula de Deus. Alguns cientistas afirmam que a essência da matéria é luz, outros que é vazio e outros que é a Consciência, Vibração, Som etc. Mas ninguém encontrou a verdadeira natureza dessa essência- e dificilmente saberá porque não é material.
Além da essência divina , há o "espírito vivente", a vida, a energia vital que muitos chamam de espírito. Ele  nos é tirado por ocasião da "morte" do corpo e nos é dado por ocasião do nascimento. Ora, quando a pessoa morre, seu espírito vivente, a vida, a energia vital retorna para o Pai, para o Universo- ou como queira chamá-lo. E o que reencarna? O carma, a carga de tudo que a pessoa foi, viveu, sentiu, desejou e pensou ao longo da vida. É ele, o carma, que vai influenciar a criação de um novo corpo, em um novo espaço-tempo.

Entre uma encarnação e outra a pessoa vive numa espécie de limbo, parecido com o sonho - que os budistas chamam de Bardo. Ou seja, ele não tem consciência de que está "morto". E como não tem essa consciência e lembrança ele NÃO SE COMUNICA com os tais “vivos”. Uma boa analogia são os sonhos. Quando sonhamos não temos consciência de que sonhamos - salvo raríssimos e rápidos sonhos lúcidos. Segundo o Bardo Thodol, se um ser é inconsciente em vida- ele será inconsciente na morte. O fluxo da consciência fica num estado semelhante ao sonho, durante o qual o inconsciente moldará imagens de seres, coisas e situações de todo tipo- tudo manifestação da própria mente da pessoa- até finalmente ela se reencarnar e recomeçar um novo ciclo de vida.
O que é que continua na pessoa após a morte? O fluxo do carma que na verdade é o próprio inconsciente- com suas ações, memórias, desejos, visões, tendências, pensamentos, vontades, inclinações, emoções etc. É esta massa de informações que influenciará e recriará  um novo corpo em uma nova manifestação dimensional. Então, o “José” não é eterno porque o “José” é consequência de uma energia cármica que condensou um corpo em um espaço-tempo específico. Para formar o “José” foi importante não só a energia cármica trazida de outras vidas como também tudo aquilo que ele viveu naquela etapa específica e que ajudou a formar a personalidade e mente do “José” : educação, experiências, vivências e a forma com que ele reagiu tudo isso.
Quando o “José” finalmente morrer de novo, a energia cármica do inconsciente que sobrar dele irá renascer noutra dimensão ou espaço-tempo. Detalhe: há infinitos espaços tempos- você  não escolhe, nem controla nada desse processo. É o carma que irá determinar o próximo nascimento que pode ser tanto nessa mesma dimensão, nesse mesmo espaço-tempo, como também no passado, ou no futuro. Ou noutra dimensão qualquer do universo, sempre pré-determinado pelo carma.

O iluminado renasce? Claro. O próprio Jesus reencarnou. Assim como vários  outros como Padre Pio, Francisco de Assis, São João da Cruz etc etc. Por que renascem? Para progredir cada vez mais. Apenas em dimensões dominadas pela ilusão que os iluminados podem progredir. O próprio Jesus disse ter vivido todo seu sofrimento para entrar na "Glória do Pai". A própria palavra "reencarnar" é inexata porque tudo na verdade é uma ilusão. Parece matéria mas na verdade não é. Mas é pra dar a impressão que é. Os seres precisam da ilusão da concretude e da resistência que essa proporciona para poderem evoluir.
Quando os mestres falam em moksha ou "Libertação" há várias conotações aí. Pode ser tanto a libertação do renascimento compulsório determinado pelo carma- geralmente em um plano pesado  e sofrido como este em que vivemos. Como também  pode ser a libertação das ilusões do ego  causador do sofrimento interior. Outra conotação possível é a libertação da ignorância e das ilusões- que também causam sofrimento. Já a libertação de toda e qualquer necessidade de manifestação em qualquer espaço-tempo ou dimensão, seja por missão ou obrigação, é algo que a literatura espiritualista cita- mas que está além da nossa compreensão.

O sofrimento de um sábio, iluminado ou santo não é como o de uma pessoa comum. Os seres humanos, em geral, vivem mergulhados em suas ilusões de dores e prazeres materiais. Já o iluminado passeia tanto pelos dramas humanos quanto pela bem-aventurança e êxtase divinos. O sofrimento neles é consciente e voluntário- assim como o de Jesus- mas não menos doloroso. Todavia, logo depois que passam pela via dolorosa do sofrimento, emergem em êxtase, luz e poder.
Há várias visões sobre essa questão do iluminado precisar ou não se reencarnar. Ele pode até não ter necessidade de reencarnar - mas precisa caso queira evoluir. Basta ver os exemplos ao longo da história : Jesus Cristo, Paulo de Tarso, São João da Cruz, Padre Pio, Francisco de Assis, Santa Terezinha etc será que eles vieram aqui a passeio para sofrer? Acredito que não. Eles podem não ter carma como os seres humanos comuns, mas amadurecem, crescem, aprendem e evoluem. Apesar de suas encarnações serem missionárias, não são menos dolorosas e talvez sejam até mais difíceis do que as do resto do mundo.

O iluminado não tem carma pesado, resultante das ilusões do ego, como os tem a maioria dos seres humanos. Mas precisam evoluir como tudo no universo. O fato de haver seres mais iluminados do que outros apontam para isso. E se há níveis de evolução é porque os iluminados evoluem. No livro Autobiografia de um Yogue, Yogananda relata que Sri Yuktéswar se reencarnou em outra dimensão com a mesma missão de Cristo aqui na terra. A diferença é que lá é uma dimensão evoluída, e ele renasceu para ajudar seres evoluídos a queimarem resquícios de carmas . Babaji, Lahiri Mahasaya, Sri Yuktéswar e Yogananda ilustram bem o que eu digo:  quatro iluminados com níveis evolutivos diferentes. O que demonstra que mesmo entre os iluminados há gradações diferenciadas, havendo, portanto- evolução.

By Alsibar