domingo, 23 de fevereiro de 2014

SOBRE GURUS E FALSOS GURUS-TUDO QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER


O blog  “Alsibar” está alcançando o total de  100.000 visitações. Ao longo desses  quase três anos , percebi que os artigos que mais fizeram sucesso foram os mais polêmicos, principalmente aqueles sobre gurus famosos. Como muita gente me manda emails com perguntas específicas sobre os gurus, ou faz comentários nos posts me taxando de “fofoqueiro”, “caça-gurus”, “caça-defeitos”, “invejoso” e coisas parecidas, resolvi esclarecer de uma vez por todas minha opinião pessoal sobre o tema. Minhas opiniões não são verdades absolutas e acredito que esse seja um dos motivos do sucesso deste blog.  Além de informar, refletir e investigar, aqui também é um espaço virtual para  a livre expressão, discussão e debates de ideias. Agradeço a todos que entenderam essa proposta e que nos prestigiam . Muito obrigado!

Como eu escrevi na epígrafe acima, muita gente me envia emails, faz comentários no blog  e nas redes sociais, ou me pergunta o que acho de tal ou tal guru. Algumas dessas pessoas são- inclusive- mal educados. Um tal de “ Consciência Cósmica” chegou a me ameaçar com o julgamento dos “Mestres” por causa do meu posicionamento polêmico. Finalmente, escreveram um trecho de uma fala de um guru no meu último post insinuando atitudes que não correspondem à realidade. Como vejo que há muita confusão e mal entendidos, resolvi escrever um artigo só com minha opinião acerca de alguns desses assuntos. Vou tentar abordar as perguntas mais comuns, de forma que meu posicionamento fique definitivamente esclarecido. Vamos por partes.

O GURU VERDADEIRO E O GURU FALSO

Sim, acredito que há gurus verdadeiros e falsos . Estes últimos são os falsos profetas citados por Jesus. Na primeira categoria, estão os  verdadeiros mestres , sábios e iluminados. E na segunda, os fajutos, picaretas e exploradores. Sempre existiram líderes mal intencionados em todas  as épocas movimentos, organizações e religiões. Não só nas grandes religiões, mas também em pequenos movimentos alternativos e desconhecidos. Há pessoas mentirosas e hipócritas em todas as esferas da sociedade. Mas há também pessoas iluminadas, boas, sinceras e honestas em todas elas . É o tal “joio” que Jesus tanto falou. Quem é quem? Não dá pra saber. Não é nosso trabalho julgar ninguém. Minhas opiniões pessoais acerca de A ou B não são verdades absolutas e - por isso- podem estar erradas. Mas elas são baseadas naquilo que sei, leio, vejo, e analiso.

SOBRE OS GURUS ADVAITAS (Não-Dualistas)

Esquerd.. p. direit: Ramakrishna, Ramana, Papaji, Nisargadatta
Gosto dos gurus advaitas que não estão mais fisicamente presentes: Shankara, Ramakrishna, Ramana, Nisargadatta e Papaji. Destes, me identifico mais com Papaji tanto por sua mensagem - simples, prática e direta -quanto por sua vida. Nos relatos biográficos, dizem que mesmo depois de se “iluminar” , Papaji continuou trabalhando e cuidando do sustento de sua família. Somente depois da aposentadoria foi que ele passou a se dedicar totalmente ao trabalho espiritual. Por outro lado, não simpatizo muito com os gurus advaitas vivos- principalmente os brasileiros pois - ao contrário de Papaji - a grande maioria dos gurus advaitas vivos, tornaram a espiritualidade um meio de vida. Vivem da exploração da fé, da carência emocional e espiritual dos seus seguidores. Fortalecem e alimentam o apego e a dependência psicológica dos seus seguidores . Fazem de tudo para que eles não se libertem  e assim acontecendo, deixem de ir aos tais satsangs - sua principal fonte de renda. Não vejo diferença entre isso e a venda de indulgências da Igreja Católica na Idade Média. É a mesma coisa com outra roupagem: a graça,  o céu , o nirvana é para os que tem (muito) dinheiro.

SOBRE OS (FALSOS) GURUS

Não é fácil identificar o falso guru.
Não tenho nada contra ninguém. Acredito que mesmo os falsos gurus cumprem um papel importante no sentido de ajudar as pessoas a compreender algumas verdades- mesmo que depois se decepcionem. Mas até isso faz parte da caminhada evolutiva. Pessoalmente não tenho nada contra ninguém.Cheguei, inclusive, a visitar um guru de passagem aqui por Fortaleza, assisti sua palestra com toda atenção e respeito devido . Ao final da palestra, nos cumprimentamos e trocamos cordialidades. Sei diferenciar a "pessoa" do personagem "guru". Quando estou na frente de um guru, vejo um ser humano igual a todos os
outros -que merece meu respeito e cordialidade. Só não me peça para ser discípulo de ninguém. Ou que eu os defenda ou siga- isso não faço. Para mim todos são seres humanos- gurus e não gurus- sejam eles verdadeiros ou não. Existem dois tipos de falsos gurus: os que  realmente acreditam ser iluminados porque tiveram algum tipo de experiência "mística" tal como sonho, visão, alucinação ou coisa parecida- estes são casos de psiquiatria. E há aqueles que se tornaram guru porque perceberam o quanto é fácil enganar as pessoas e por isso exploram e enganam de forma consciente e pensada- estes são casos de polícia. Difícil é diferenciar quem é quem.

SOBRE O OSHO

Osho, polêmico na vida e na morte
Definitivamente não tenho nada contra o Osho- lamento que tenha tido um fim tão trágico. Fui seu admirador e defensor durante boa parte de minha vida. Mas quando estouraram os fatos de Óregon, que culminaram com sua fuga, prisão e morte misteriosa, fiquei com a “pulga atrás da orelha”. Mesmo daqui de Fortaleza as notícias oficiais que nos chegavam não eram confiáveis, ao contrário eram confusas e suspeitas. Comecei a desconfiar que algo estava errado. Alguns de seus discursos dessa época destoam dos discursos do começo de sua carreira e mostram um Osho completamente diferente e estranho. Muito tempo depois desses ocorridos, descobri o artigo do Christopher Calder- um ex-discípulo do Osho que resolveu contar ao mundo uma nova versão da vida deste famoso guru. Calder esclareceu muita coisa baseado não somente em seu próprio testemunho- mas no de outros ex-discípulos, indícios, reportagens, fotos, depoimentos etc. Com este artigo, muita coisa se esclareceu. As coisas começaram a se encaixar e fazer sentido. Além do mais, comecei a desconfiar dos ensinamentos do próprio Osho . Percebi que eram palavras bonitas, belas , poéticas e de efeito, que tinham como objetivo encantar, hipnotizar, convencer e fazer discípulos. Compreendi que nem sempre as palavras bonitas- que te faz  sonhar, viajar ou sentir boas sensações – são verdadeiras. E na maioria das vezes não são.  Palavras verdadeiras são duras . As de Osho  não tinham um fim didático. Não objetivavam a libertação: mas a prisão do leitor ou ouvinte ao seu rebanho. Hoje vejo o Osho como uma incógnita, um mistério que dificilmente será desvendado. Restam apenas dúvidas, indícios, incertezas e hipóteses.

Tenho algumas hipóteses sobre ele:

1.Osho não era iluminado mas apenas um homem muito inteligente, hipnotizador e ótimo orador - isso explicaria toda sua história de extravagância, ganância, megalomania e as tragédias de sua vida: o fracasso da comuna , o suicídio de Vivek- seu grande amor- e seu suposto suicídio um mês depois.
2. Osho era iluminado, mas se perdeu ao longo de sua trajetória. Ou seja, era iluminado mas se perdeu,  fraquejou, caiu- como aconteceu no mito bíblico da queda dos anjos.
3. Osho era iluminado e continuou iluminado até sua morte trágica. O que aconteceu é que mesmo os iluminados podem enlouquecer- e mesmo assim continuar sendo iluminado.
4. Foi tudo mentira do Calder, do Milne e dos outros ex-discípulos que o denunciaram. Todas as provas e indícios foram uma farsa montada pelo governo americano para destruí-lo e matá-lo- juntamente com sua amada Vivek. 

Que ninguém me “apedreje” por ter uma opinião, uma hipótese… mas fico com a primeira. E aceito que discordem de mim. E também defendo o direito de cada um ter a sua. Mas registro aqui que reconheço a importância do Osho no que tange à espiritualidade humana moderna- ele ajudou a abrir e expandir os horizontes espirituais de muita gente- inclusive do meu.

SOBRE GURDJIEFF

George I. Gurdjieff
Um grande líder e divulgador dos ensinamentos espirituais das sociedades secretas com os quais tivera contato – mas não era um "desperto". E se era- caiu , desvirtuou-se ao longo do caminho. Suas ações estavam longe de manifestar o que pregava. Ele mesmo confessou ter usado seus poderes de telepatia e hipnose para tirar vantagens pessoais e seduzir mulheres .  No final da vida, se arrependeu , entrou em crise existencial e acabou tendo um fim trágico. Sua vida e ensinamentos influenciaram várias pessoas- inclusive o Osho. Ele foi um grande divulgador das Verdades Eternas mas estas não eram suas e ele próprio não conseguiu vivê-las.

SOBRE JIDDU KRISHNAMURTI

J. Krishnamurti: um iluminado, apesar dos deslizes
J.Krishnamurti foi um verdadeiro "guru" no sentido estricto do termo: "aquele que dissipa a escuridão" - não no sentido em que ela é atualmente usada .Ele foi um dos mestres que mais me influenciou. Nos piores momentos de minhas crises existenciais foram às suas palavras que recorri- encontrando de pronto a resposta e a luz que eu precisava. Acho que Krishnamurti foi um iluminado, apesar de seus defeitos e deslizes- como o caso amoroso com a esposa do seu secretário particular. Apesar de considerá-lo o mestre que mais revolucionou a história da espiritualidade humana moderna- não sou seguidor- nem muito menos "krishnamurtiano". Desde muito tempo que o tenho como  um dos referenciais espirituais mais seguro e confiável . Tenho ainda muita admiração e gratidão por ele, por seu trabalho, ensinamentos e por tudo que ele representa .  Apesar disso, tenho minhas próprias opiniões sobre uma série de coisas que com certeza K. reprovaria. Ele não se arvorava em autoridade nenhuma- deixou para nós a liberdade para investigar a Verdade por nós mesmos, acreditando em nossa própria capacidade e  luz interior. Se hoje sou procuro manter-me independente, autônomo e livre- agradeço principalmente a sua influencia e a de Buda.

SOBRE UG KRISHNAMURTI

U. G. : ex-ouvinte e admirador de JK.
Muita gente o considera um imitador do Jiddu. Mas a verdade é que Upalluri Gopalla Krishnamurti sempre teve sua vida ligada de alguma forma ao J.K. Quando nasceu, seu pai -teosofista e espiritualista -deu-lhe este nome em homenagem ao grande  J.K. Quando cresceu, tornou-se ouvinte assíduo das palestras do J. Krishnamurti  até que um dia se “iluminou” durante uma de suas conferências. Diz-se que Upalluri alcançou um estado diferenciado de consciência. O próprio UG o denominou de “Calamidade”- devido a natureza dolorosa do misterioso fenômeno. Não teve discípulos nem criou nenhuma organização, movimento  ou sociedade.  Tudo indica que realmente se libertou da opressão dos pensamentos. Através de UG, podemos perceber que o fenômeno da iluminação não pode ser descrito, idealizado ou imaginado- é algo sempre novo, diferenciado, subjetivo e singular. J. Krishnamurti já afirmava isso usando outras palavras. Penso que UG realizou em vida os ensinamentos de JK. Depois teve que se libertar do mestre, cortando totalmente as ligações com o passado- pelo menos no nível consciente. Inconscientemente, seus ensinamentos são ecos dos de  JK. Há algumas diferenças apenas na forma de expressão. Gosto do UG e acho que sua experiência pode ajudar na compreensão de nossa própria jornada espiritual.

SOBRE A DEPENDÊNCIA DOS GURUS

Isso sim sou contra. Sejam eles verdadeiros ou não. A relação de dependência e obediência cega ao guru é uma das fases da jornada que deve ser ultrapassada se a pessoa quiser crescer e evoluir. Do contrário o próprio guru - que um dia lhe tirou da prisão da mente, da depressão, ou ego- se torna, ele próprio, outra prisão. Todavia, não sou contra a gratidão, o reconhecimento etc. Pelo contrário, acho importante a gratidão e o reconhecimento àqueles que gratuitamente ajudam as pessoas que ainda penam e tateiam ao longo do caminho espiritual.

SOBRE AS RELIGIÕES TRADICIONAIS E SEUS LÍDERES

Apesar de achar que todo mundo deva ser livre, sei que as religiões tradicionais, com seus líderes religiosos, padres e pastores- cumprem uma importante missão no mundo: ajudar as pessoas a sair de uma vida desregrada e materialista, apontando-lhes os primeiros sinais da luz espiritual. Sei que sem essa ajuda muita gente estaria no crime, nas drogas ou depressão. Compreendo que cada um cumpre um papel importante- todos sem exceção. Inclusive este blogueiro. Mas isso não livra ninguém da parcela de culpa que lhe convém. Cada líder religioso deve responder por seus atos  e atitudes perante o tribunal da consciência. Em todo lugar existe gente boa e bem intencionada- assim como pessoas desonestas e falsas.

SOBRE O DISCURSO ADVAITA ( NÃO-DUALISTA)

Sou a favor da visão advaita com algumas reservas- mas sou totalmente contra sua manipulação por parte de pessoas que se apoderam do discurso, tornando-o apenas mais uma “coisa” vendável. Usam-no mais como uma forma de aparecer e se projetar socialmente- do que uma prática de vida. Falta vivência, sobram os discursos e a deplorável exploração comercial dos satsangs.

SOBRE SATSANGS

Nas tradições hindus é comum a adoração ao guru
Sou à favor de satsangs ( encontro com a "verdade") gratuitos ou com contribuições voluntárias. Sou contra satsangs pagos e caros. Compreendo os  de preço justo. Todavia o que se vê atualmente é a espiritualidade sendo transformada em negócio e – em alguns casos- exploração. Satsang não é show e guru não é celebridade- apesar de todo esforço de seus colaboradores de querer transformá-los em mega-stars e mitos  espirituais, essa prática mercantilista reduz a espiritualidade a uma mercadoria de luxo acessível apenas aos "eleitos" que podem pagar. Cria-se assim a indústria dos satsangs, que precisa lucrar cada vez mais para expandir e crescer. Os seguidores dos gurus se justificam dizendo que tem que cobrir os custos da viagem, hospedagem etc etc. Ora, é só não viajar. Fazer em casa mesmo, como fazia Nisargadatta e Ramana. Pra que viajar ? Não faz sentido. "Tudo já é perfeito e nada precisa ser mudado. Não há nada a ser ensinado e não existe ninguém aí para aprender"… então pra que cobrar tão caro?

Espero que agora tenha ficado clara minha posição sobre os assuntos mais polêmicos ao longo desses anos. Só me resta agradecer a todos que participaram do blog com perguntas, comentários e críticas. Não tenho a Verdade absoluta e não julgo ninguém em particular. Deus é que conhece o coração de cada um. Mas também não podemos fechar os olhos aos fatos ou à Verdade-seja ela qual for, seja ela sobre quem for. Não há ninguém acima do bem e do mal. Todos estão sujeitos a falhas, quedas, deslizes e erros- inclusive eu.

Um fraterabraço a todos!

Muito obrigado!

Namastê!
Alsibar
htt://alsibar.blogspot.com



56 comentários:

  1. Respostas
    1. PARA MIM ; NÃO SE DEVE " ENDEUSAR " NINGUÉM ; NEM MESMO O MESTRE JESUS OU O MESTRE BUDHA . CADA UM DEVE ENCONTRAR-SE COM O " SI MESMO " ; A PRÓPRIA PRESENÇA " EU SOU " ; QUE É A ÚNICA E INSUBSTITUÍVEL . E , ISTO ; NA MAIS COMPLETA SOLIDÃO EM RELAÇÃO AO MUNDO . NO MAIS , TOMAR TUDO O QUE VEM DE FÓRA , PARA SÍ ; APENAS COMO MÉRA INFORMAÇÃO EXTERNA .

      Excluir
  2. Oi amigo Alsibar. Ótimo texto! Sua visão, clara, serena, sem buscar polarização. Sempre que leio seus textos, fico pensando... Sou médico e também trabalho como palestrante. Se eu me iluminasse daqui a um minuto, teria que parar de cobrar para falar? rsrsrsrs Acho que o Universo ajeitaria isso para mim, mas mesmo assim minha mente fica "doidinha" quando pensa nesse assunto. kkkk Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roberto Cardoso,
      É sempre uma honra pra mim ver seus comentários aqui. Obrigado por suas palavras. Bom... com certeza, penso que o problema não é cobrar em si- mas transformar a "graça" em uma mercadoria. Você é um profissional, estudou , se formou e investiu muito pra ser um profissional respeitado. Acho que você continuaria cobrando como Psiquiatra e Médico especialista, mas não por ser iluminado- pois isso vem da Graça e não pode ser comprado, nem vendido.

      Abraços amigo!

      E, novamente, muito obrigado!

      Excluir
    2. Olá Alsibar! Grande texto! Bastante direto, sensato e sintetizado. Mas só uma coisa, a partir da sua resposta a Roberto Cardoso, que eu gostaria de trazer à discussão: O grande novelo (a grande complicação pra se entender ou aceitar) é que muitos mestres advaita afirmam que tudo que acontece ou tudo que uma pessoa faz, mesmo que ainda sob o comando do ego, na realidade, quem faz é a graça.

      Por exemplo: se eu (ego) tomo a decisão de ler um livro chamado "EU SOU AQUILO" ou "BHAGAVAD GUITA" ou qualquer outro de índole de esclarecimento espiritual, e me esforço aplicando toda a minha atenção e dedicação com vistas a encontrar a libertação ou a verdade ou realização, na realidade quem realizou esta ação (ler tais livros com dedicação) foi a graça; sendo o ego (eu, no caso) um mero instrumento dela.

      Do mesmo modo, se eu decidisse ler a revista CONTIGO para me distrair, esta ação teria sido igualmente realizada pela graça.

      É como se não houvesse autoria alguma na ação do ser humano, como se a pessoa nada possa fazer.

      A implicação dessa visão é que nada você pode fazer, nem mesmo para se tornar uma pessoa melhor. Ou seja, tudo seria a ação da graça, e uma questão de amadurecimento.

      Por exemplo: uma pessoa desonesta, gananciosa, cruel, cheia de mazelas, nada pode fazer para mudar isso. Apenas um amadurecimento pode fazê-la superar tais mazelas, e esse amadurecimento não seria uma questão de escolha, do tipo: "a partir agora, estou determinado a me tornar um ser humano maduro ou sábio, etc". Seria uma ação da própria existência, um acontecimento, que iria elaborar amadurecimento.

      Obviamente que esta visão é bastante radical e pode gerar efeitos catastróficos tais como extrema letargia mental e comodismo exasperado.

      Penso que a pessoa acreditando, ainda que equivocadamente, que ela depende dos próprios atos para progredir e que ela é a responsável por sua própria trajetória, pode ser uma coisa muito mais benéfica, no sentido favorecer e catalisar o seu amadurecimento (pois induz mobilização e motivação para enfrentar as situações da vida), do que a pessoa viver conforme essa máxima (ainda que seja real em última instância) de que "você não pode fazer nada, tudo quem faz é a graça".

      Porque talvez, quando a pessoa (o ego) se apropria dessa máxima, ela acaba a usando de forma insensata e errônea, consequência da obscura visão que é inerente ao ego.

      Então, voltando à sua resposta à Roberto Cardoso, quando você diz que "você estudou", "você trabalhou", "você se tornou um profissional respeitado", na realidade, conforme esse ponto de vista, quem teria feito tudo isso foi a graça. Então não faria diferença em um guru receber dinheiro e ser sustentado por contribuições de seus discípulos, pois tudo seria a tal graça fazendo as coisas acontecerem e usando variados (e inusitados) instrumentos.

      Acabei extrapolando um pouco no assunto e no volume do texto, mas gostaria de ouvir algumas palavras suas sobre esse tema tão delicado e crucial da "graça versus ação individual".

      Um grande abraço,

      Muita luz a todos.

      Excluir
    3. Olá amigo Rogério tudo bem?

      Coincidência! Hoje mesmo estava meditando sobre este assunto. Ao dizer que tudo é ação de Deus e que tudo é Ele- isso não eximi a alma individual- separada- de sua responsabilidade. Sim, tudo é Deus- inclusive suas inexoráveis leis. Tudo é Deus- inclusive Maya- a ilusão- que existe para que o "drama cósmico" possa existir. Postas estas duas premissas, vamos ao desdobramento disso.
      Quando Roberto Cardoso- alma individualizada e separada- cobra- isso é sua profissão. É algo que ele investiu anos de trabalho, dinheiro em livros, cursos, tempo etc. É algo que ele- RC- "comprou" através de seus próprio esforço e trabalho pessoal. RC é um médico, tem um padrão de vida, filhos e família. Ele lutou uma vida pra ter um padrão de vida até alcançá-lo e usufrui-lo de forma merecida. Mas, no fundo, em essência, em última instância- tudo isso é o drama cósmico- pois tudo é Deus. Em outras palavras, tudo é átomos, tudo é luz, tudo é energia, tudo é vazio. Depende do ponto de vista do observador não é mesmo? Roberto Cadoso é um médico, pai de familia... assim e assim. Deste ponto de vista de nossa pequena e ilusória existência. Em níveis mais profundos e além de nossa compreensão ele é parte de Deus e consequentemente Deus também. O corpo é você? Não. É parte de vc. Mas dependendo do ponto de vista é vc, Uma célula é vc? É e não é. Depende do ponto de vista. O seu DNA é vc? É por um lado. Por outro não. Ou seja... tudo é Deus, do ponto de vista mais profundo, último e essencial do Universo. Outro exemplo : gelo é água? Vapor é água? É e não é... em essência, na composição química mais profunda é. Mas, por outro lado, água é água e gelo é gelo. Cada um com suas características próprias. Somos Deus por que a essência última de tudo que existe é Luz, Energia, é Deus.

      Excluir
    4. Continuando...

      Por outro lado vem o guru- o guru verdadeiro é aquele que compreende tudo isso. Ele é sábio , sensato, honesto e inteligente. O guru verdadeiro entende que ele é luz e que Deus é a essência de tudo que existe. Ele não acredita nisso- ele realizou isso . A grande diferença entre ele e o Roberto Cardoso, é que este ultimo investiu dinheiro numa carreira pra ter um padrão de vida específico- de forma honesta e merecida- é sua profissão.
      Iluminação não é profissão, é um estado de consciência. Não vem através do dinheiro, você não compra a iluminação, e não faz curso pra se iluminar. Se comprasse, Steve Jobs seria um dos maiores iluminados da nossa era. A iluminação é algo que não pode ser conquistado, como se conquista uma carreira, não é algo palpável, não pode ser buscado, não existe esforço capaz de levá-la até ela. É simplesmente o despertar da consciência. É como o dormir e acordar. Você dorme à noite- de manhã vc acorda. Tem preço pra isso? Obviamente, que não.

      É claro que o iluminado tem que comer, se vestir, morar em algum lugar. Pra isso existe uma coisa chamada trabalho. Ser iluminado não é um trabalho, não o torna especial, nem autoridade, nem lhe dá o direito de ser sustentado pelos outros, nem o torna aleijado ou impotente.
      Se o Iluminado vive apenas para a meditação, então provavelmente suas necessidades são básicas e seu estilo de vida é simples. O dinheiro vem naturalmente. Por viver um estado de consciência diferenciado, ele não precisa de luxo e ostentação e, por isso, não vende aquilo que não pode ser comprado, nem explora os outros, nem usa sua iluminação como forma de obter vantagens, poder e status. A Iluminação é como o ar, a vida, o sono... isso vem pela Graça, de graça e consequentemente deve ser dado de graça. Pois mesmo se quisessem comercializar isso seria impossível. O problema é que tem gente que comercializa isso, vende a Graça- e tem gente boba que compra. Não lhe parece uma grande enganação?

      Sou a favor das doações voluntárias, do preço honesto e justo para pagar despesas- mas não concordo com aqueles que mercantilizam a espiritualidade, lucram com ela vendendo aquilo que é invendável. Isso não lhe parece absurdo?

      Respondi amigo? Fique à vontade pra levantar essas e outras questões.
      Um fraterabraço!
      Namastê!

      Excluir
    5. Valeu amigo Alsibar!

      Acho que o "x da questão" para compreender tudo isso é "saber lidar" com todos os "NÍVEIS" da existência: absoluto - consciência - mente - corpo. Às vezes é difícil se situar e não se confundir em meio a todas essas dimensões.

      No nível corpo-mente, há as necessidades que lhe são próprias, às quais está submetido até mesmo o iluminado. Sendo assim, mesmo aquele que realizou o absoluto, enquanto possuir um corpo, continua tendo as necessidades de uma pessoa não desperta, eis que o iluminado não pode se alimentar de luz. É como se, no nível do corpo, o guru e a "pessoa comum" estivessem igualados (ambos os corpos precisam de ar, água, comida, etc.)

      O problema é que a cultura indiana valoriza demais o corpo do guru. Na minha humilde opinião, existem algumas incoerências nisso. Já que Deus (ou Graça, Consciência, Absoluto) está sempre presente, antes, durante e depois de o corpo do guru existir, por que valorizar e enfatizar tanto o corpo do guru? A impressão que é passada, é que o guru seria uma porta, um intermediário altamente precioso, ou até imprescindível entre a pessoa e Deus (ou entre a consciência e a Consciência).

      Não quero subestimar a presença de um sábio. Reconheço que este, com a sua inteligência, pode ser capaz de trazer muita luz para os que estão à sua volta. Mas por que venerar tanto aquele corpo físico, tendo em vista que o essencial está muito além dele, e que mesmo depois que o corpo morra, a essencial permanece intacto, onipresente e sempre acessível?

      Ou seja, se eu estou sozinho aqui neste quarto, a consciência atemporal está aqui. Por que venerar tanto o corpo-tempo? Não seria mais sensato venerar aquilo que é onipresente, atemporal e independente de qualquer acontecimento, inclusive do corpo do guru?

      Acho que é por causa dessas incoerências (supervalorização do guru) que existem as brechas para que surjam os falsos gurus, querendo apenas vida fácil, exploração, poder e mordomias.

      Obrigado pela resposta!

      Um forte abraço!

      Namastê!

      Excluir
    6. Valeu Rogério por sua participação!

      Namastê!

      Excluir
  3. ...obrigada pela sinceridade!
    ...obrigada pela humildade e honestidade das palavras!
    A intenção é a reflexão e o debate.
    Como é lógico a verdade é um processo ou caminho pessoal...
    As influencias estão em todo lado e a mudança de opinião no percurso é natural...
    Quando entramos no desconhecido, tudo é possível... mas aí é que esta a magia!
    Para sermos bem sucedidos, temos que usar um sistema de filtragem e estar atentos ou melhor CONSCIENTES!

    Jorge Moreira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Jorge Moreira,

      Fraterabraços!

      _/\_

      Excluir
  4. Quem pode definir quem é um guru ou se este guru é bom ou não?
    Existem muitas escrituras na India por exemplo que citam qualificação de gurus, siddhas paramahansas , pandits, mahants .... existem um número infinito de classificações nenhuma citada aqui por você. Aliás o que nós entendemos como guru é algo muito novo para o ocidente, em comparação com aquilo que faz parte da tradição deles, cultura, espiritualidade. Aqui no ocidente filosofia iniciou-se com os gregos, lá na India parece ter se perdido a conta de quando se iniciou qualquer questionamento. A meditação é central nos conhecimentos yogues, e aqui a mente começa a ser estudada por Freud e Jung, alguns filósofos . O yoga foi introduzido misturado a teosofia , e ao ocultimos, a hatha yoga por Indra Devi sem o conteúdo iniciático em meados dos anos 50... bem parece que estamos engatinhando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Encantos e Desencantos tudo bem?

      Penso que a máxima cristã " pelos frutos conhecereis a árvore" é um bom começo não? Afinal, se um guru não vive o que prega e se suas ações não reflete seus ensinamentos- me parece uma grande hipocrisia. Os sidhis não qualificam um iluminado. O que qualifica um sábio é sua vida, suas ações, palavras, e a vivência daquilo que ensina. Sobre as classificações... não é esse o objetivo desse blog. O objetivo aqui é questionar, investigar- qualquer dogma ou verdade tida como absoluta, visando a superação de qualquer apego a conceitos mentais, crenças, filosofias- sejam elas quais forem- incluindo gurus e ensinamentos advaitas. Tudo isso deve ser usado e depois abandonado- do contrário- a libertação não será possível.

      Abraços e obrigado pela participação.

      Namastê!

      Excluir
  5. "Deveríamos nos tornar aptos a ver Deus todo poderoso, o Ser Supremo, até mesmo em nossos inimigos, pois esse é o sinal do estado de ausência de ego. Aquele cujo ego se foi é o verdadeiro Sadhu (o Santo). A natureza das pessoas consiste em encontrar faltas nos outros, mas a natureza do Sábio não é olhar os pontos ruins ou o que está faltando nos outros. Como pode alguém que está preocupado com o que é bom ou ruim nos outros ser um sábio? O sábio é diferente de tais pessoas, ele se comporta de maneira diferente das pessoas do mundo. A natureza de um homem mau é não ver nada de bom nos outros. O homem que é realmente grande vê o que é bom nos outros e sabe que é a própria “Luz de Deus” que está brilhando dentro de si.
    Seja gentil com todos e você não sentirá necessidade de nada. A compaixão por todos os seres é a melhor maneira de destruir a rede da Ilusão. Não há nenhum pecado pior do que a fofoca maldosa."

    Sri Siddharameshwar Maharaj

    ResponderExcluir
  6. Só um iluminado pode falar de um iluminado ou da iluminação.

    Qualquer pessoa que não esteja nessa condição, e que fala da iluminação ou de iluminados,
    Estará falando bobagem.

    ResponderExcluir
  7. É como um gato, tentando explicar um ser humano...

    O gato está contando e tentando mostrar como se faz pra falar...

    Mas tudo que o gato sabe fazer é miar

    ResponderExcluir
  8. Se você fala da iluminação,
    Supõe-se que é iluminado.

    Então peço que me diga,
    Sou iluminado!

    Porque nessa afirmação há um grande risco...
    Há muita responsabilidade

    Mas não há risco para quem o é,
    Porque ele realmente é.

    Peço que me diga:
    Você é?

    ResponderExcluir
  9. Thiago, usando seu estilo:
    I
    Bobagem é não perceber o Um que anima todos os seres.
    Todos são iluminados, apenas não sabem.
    É o pensamento que divide os seres em iluminados e não iluminados.
    Quando não há pensamento percebemos a Luz que sempre esteve aí.
    Na não-mente não há mais divisão.
    Iluminados e não-iluminados são apenas conceitos mentais.
    O Um é a essência de tudo que existe.
    Você é tão iluminado quanto qualquer outro.
    E perceber isso te capacita a falar de qualquer coisa.
    São os gurus que querem que você pense que não pode,
    Pois ao se sentir incapaz de pensar,
    Você continuará preso a ele.
    Seja você mesmo,
    Tenha coragem,
    E encontre sua própria Luz.

    ResponderExcluir
  10. II
    Há muita diferença entre um gato e um homem.
    Um Iluminado não é biologicamente diferente de qualquer outro.
    Se você se considera um gato miando,
    O seu caso é grave.
    Desperta amigo, não sois um gato.
    Os gurus lhe programaram para se ver assim.
    "Sois deuses"- apenas não sabeis disso!
    E se sabeis- esquecestes.
    Relembre sua verdadeira natureza
    E verás que você não é um quadrúpede,
    Embora aja às vezes como tal.
    Você é Luz, centelha divina,
    Nada mais além disso!

    ResponderExcluir
  11. III
    O que sou não pode ser descrito,
    Não tem definição.
    Há apenas pensamentos soltos,
    Sem identificação, sem link, sem centro.
    Sou tão iluminado quanto você ou qualquer outro.
    Apenas me libertei do pensamento:
    ' Sou isso, Não-sou isso".
    Um Iluminado está além do pensamento dual,
    Mesmo que ele saiba que é- nunca afirmará.
    Pois ali não há mais o pensamento: Eu Sou!
    Se há este pensamento é por que não é.
    Se tivesses chegado lá, me entenderias.
    Ao invés de se preocupar comigo,
    Liberte sua mente e descubra a Verdade,
    E quando chegar lá não haverá mais dúvidas.
    Pois o questionador deixará de existir.
    E haverá apenas o Indescritível,
    O Impensável,
    O Inominável.

    _/\_

    ResponderExcluir
  12. Negativo.
    O iluminado é iluminado.

    Todos os seres podem ser iluminados como você fala, mas só aquele que reconhecer isso é de fato iluminado.

    A pergunta que eu te fiz é:
    Você é um iluminado?

    A resposta é perigosa, é muita responsabilidade.
    Não é somente para o iluminado, porque ele é realmente é.

    ResponderExcluir
  13. O Iluminado afirma sim.
    Ele precisa fazer isso.

    Buda se revelou
    Jesus se revelou

    Todos os fazem.

    Pois eles estão no topo, não há ninguém acima deles para enxergá-los.

    Falar é preciso.

    Mas quando se é, não há problema em falar.

    É como um passarinho dizer: eu sou um passarinho.

    Não há problema, porque a experiência dele prova isso. Dá mesmo para ver que é um passarinho....

    Mas se uma cobra revelar: eu sou um passarinho!

    Ela entra em uma enrascada... porque mais cedo ou mais tarde vão enxergar que ela não é passarinho, que é uma cobra.

    Porque a experiência da cobra não prova ser um passarinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso da cobra e do passarinho, está sempre acontecendo. Há vários gurus que se revelaram cobras-mas os seguidores fanáticos e exploradores continuaram espalhando que eles eram passarinho e não cobra. Há muitos lobos em pele de cordeiro e mesmo quando se revelam lobos ainda tem gente fanática que diz: " é cordeiro e pronto!"

      Excluir
    2. Sim, mas se forem cordeiros, a experiência deles revelará.

      A mentira não dura muito tempo,
      A experiência da verdade é diferente...
      Ela dura.

      A vida do revelador é a prova.

      Excluir
    3. E quando chega o iluminado,
      O guerreiro.

      É ai que é mesmo o fim da mentira.
      Ela não dura até que termine está geração.

      Excluir
  14. A pergunta é simples.

    Você só precisa de duas palavras, e não de um discurso.
    Você tem cacife pra responder?

    Minha pergunta é, e todos estão vendo sua resposta...




    Você é um iluminado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha resposta é simples amigo:
      " Quem diz que é não é!"
      Tire suas próprias conclusões!

      Excluir
    2. Quem diz que é, não quer dizer que não é.

      Quando alguém diz que é, ocorre um grande o problema... Um ENORME problema.

      Porque agora está revelado, ele não se escondeu, se revelou.

      Se ele for mesmo o que diz, sua experiência prova.
      Se ele não for mesmo o que diz, sua experiência também prova.

      Se ele mentiu, está enrascado.
      Se ele falou a verdade, está revelado.

      Depois do dito, não há mais como se esconder.

      Excluir
    3. E é por isso que você não tem o cacife para responder.

      Você está com medo, é muita responsabilidade.

      Se falar, o mundo vai saber que é.
      Se falar, o mundo vai saber que não é.

      Se falar, o mundo vai saber o que você é de fato.

      Escondido, não da pra saber... por isso você se esconde.

      Como disse Jesus Cristo: "Tudo que está escondido, precisa ser revelado."

      O iluminado revela tudo.
      Quando ele vem, nada se esconde.

      Então tudo fica claro.

      Excluir
  15. Buda diria: eu sou.

    Jesus diria: eu sou.

    E alsibar, o que me responde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há uma coisa que você não sabe. Há vários iluminados no mundo. Mas eles não se revelam. Vou postar aqui o que disse sobre isso no Facebook, pra não ser repetitivo:
      "Quando é exatamente o contrário: quem se ilumina mantem-se longe dos holofotes, vive uma vida normal, comum. Alguns aparecem por que tem missões a cumprir. Todavia, os maiores mestres se mantiveram no anonimato."

      Excluir
    2. "No tempo de Yogananda havia vários iluminados vivos MAS NINGUÉM SABIA QUE ELES ERAM! Yogananda era fascinado por mestres iluminados. Procurou, procurou... viajou pra longe e durante muitos anos quis ir aos Himalayas encontrar seu mestre. Todavia, seu mestre morava pertinho dele. O problema é que ele era um homem de negocios, uma pessoa aparentemente comum.Ele gostava de citar esse provérbio hindu, ao se referir ao seu mestre " O sábio que não consegue esconder sua sabedoria- não é um verdadeiro sábio".

      Yogananda revelou ao mundo a existencia de inumeros iluminados vivos- que se não fossem por ele NUNCA SERIAM DESCOBERTOS POIS VIVIAM NO ANONIMATO.

      Excluir
    3. Um deles, o maior de todos ficou conhecido como Babaji. Diz-se que ele é um ser milenar. O cara viveu milênios no ANONIMATO. E só se manifestou agora por um decreto divino. Mesmo que ninguem acredite em Babaji- Yogananda tambem revelou a existencia de iluminados vivendo em casebres, em lugares longinquos e que detestavam publicidade. Um deles é o Ram Gopal Muzumdar. Leia no meu blog sobre ele :http://alsibar.blogspot.com.br/.../ram-gopal-muzumdar-o...

      Excluir
    4. O Iluminado não precisa se justificar com o passado.

      De fato, ele não precisa se justificar.

      Sua experiência e verdade mostra ao mundo o que ele é.

      Se ele diz, sou iluminado.

      Está tudo bem, ele chamou atenção. Agora estão olhando para ele, se ele for, o mundo saberá, e isso será bom para o mundo.

      Se ele não for, o mundo também saberá. E isso será bom para o mundo, e péssimo para ele.

      Com a afirmação, o mundo só tem a ganhar.

      Excluir
    5. Não é você nem eu quem decide sobre a vida dos seres,
      Nem mesmo o Iluminado.
      Sua vida não é mais dele,
      Ela pertence à existência?
      Quem poderá dizer o que deve ou não deve ser feito?
      Difícil de compreender?

      Excluir
  16. Se fizessem a pergunta para a cobra, que disse ser um passarinho...
    Ela começaria a dar voltas e voltas, mas não diria que é um passarinho com clareza...

    Porque se ele falasse, retamente, estaria assumindo a responsabilidade de ser um passarinho.

    E só um passarinho pode fazer isso.

    ResponderExcluir
  17. O lobo age como lobo quando ataca as ovelhas? Ou age como ovelhas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Iluminado é o maior lobo do mundo.

      Ele ataca todo mundo.

      Ele morde, e expõe o sangue.

      Se o sangue for azul, será visto.
      Se for verde, será visto.

      O iluminado revela tudo.
      Nada se esconde.

      Excluir
    2. O iluminado não é um lobo, nem cordeiro,
      Não é maior ou menor do que ninguém,
      Ele nem se revela nem se esconde.
      Ele é.

      Excluir
  18. Alsibar, entenda uma coisa...

    Podem haver milhares de iluminados, mas nem todo iluminado é cristo, é buda.

    Buda, cristo, são os iluminados insanos.
    Eles são a revolta, o nervo de Deus. A fúria contra a mentira.

    Eles abrem a boca contra o mundo.
    São os iluminados corajosos, os guerreiros.

    ResponderExcluir
  19. Alsibar, não se preocupe com isso, tá bom?

    Se você for iluminado, eu sou uma ajuda, o mundo vai saber quem você é.

    Agora se você não for, se preocupe...
    Eu sou um grande problema...
    Porque minha revelação mostra ao mundo as pessoas.

    Se não for, seja esperto...
    Porque sou uma armadilha difícil de escapar...

    Se você não for, o mundo vai saber.

    Eu revelo ao mundo quem é você.

    ResponderExcluir
  20. O iluminado é aquele que descobriu sua verdadeira essência.
    A essência é vazia até mesmo da palavra "vazio".
    Ele não quer aparecer, não quer méritos, nem glórias.
    Vive a vida, o agora, sem ter consciência de quem é.
    Nesse sentido ele é como as criançinhas,
    Os pássaros, os animais.
    Mas sua consciência é plena
    E, por isso mesmo, vazia, luminosa e silenciosa.
    Não quer nada além do que tem,
    Não deseja nada além do que a vida lhe fornece,
    É feliz e bem aventurado.
    Nada lhe faz falta e , por isso, tem tudo!

    ResponderExcluir
  21. Ola Alsibar! Li e achei muita coerência nas suas palavras. Estou no caminho. Buscando. As vezes encontrando e as vezes me perdendo. Não é fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maira,

      Keep Walking... é exatamente assim!

      Fraterabraços!

      _/\_

      Excluir
  22. Olá, amigo Alsibar!
    Parabéns pela excelente matéria.
    A respeito do que foi postado aqui é preciso tomar muito cuidado, iluminação é coisa séria.
    Pouquíssimas pessoas atingiram esse nível de realização, nem ordens, nem seitas podem dar isso para uma pessoa, muito menos os falsos mestres que populam pela internet, que no fundo são pessoas que ficam se auto enganando...

    ResponderExcluir
  23. Ola Anônimo de 27 de Fevereiro,

    Concordo com com você. Obrigado pela visita e pelas palavras, amigo.

    Fraterabraços e até a próxima!

    ResponderExcluir
  24. Como o amigo anônimo acima citou, iluminação é realmente algo raro.Porém não é impossível
    creio eu que em algum momento de nossa finita existência terrena, vamos nos confrontar com
    essa situação.
    Pode ser nessa existência ou em futuras, depende do desenvolvimento espiritual de cada um.
    Mas voltando ao tema da matéria creio eu que dos acima citados, é digno de uma investigação mais profunda krishnamurti.
    Este homem demostrou em alguns momentos em seus discursos um nível profundidade,
    impressionante o que denota uma energia do mais alto nível agindo através dele...
    Pois seus ensinamentos eram de ordem prática, para serem usados no dia dia, nada de fórmulas milagrosas, pelo menos pra mim ele demonstrou ser o dos acima citados o que mais
    se aproxima de um verdadeiro mestre iluminado...fico por aqui abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da expressão " alto nível de energia agindo através dele" fora exatamente uma das últimas frases de K: " A humanidade não encontrará tão cedo uma energia como esta agindo em outro corpo".

      Abraços amigo e obrigado pela contribuição.

      Excluir
  25. Bem colocado paladino, a contribuição de krishnamurti merece sim atenção.
    Mas acho que a grande maioria não entendeu seus ensinamentos, incluindo pessoas do seu
    circulo interno.
    As pessoas querem fórmulas, sistemas , em outras palavras querem o caminho mais fácil.
    E isso krishnamurti não oferecia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo amigo... muito bem colocado.

      Todavia, penso que K. era apenas um norte, uma orientação , uma seta... O principal não é o que K. ensinou ou deixou de ensinar, do contrário vira discussão interpretativa - como acontecera com as palavras de Jesus, Buda e Krishna. E isso é infindável e estéril.

      Tenho visto em fóruns e sites muitas discussões sobre o que K. disse. Se acreditava em Deus ou não, se pregava reencarnação ou não- e assim por diante. Penso, que o mais importante é mudarmos o foco central da questão: de K. para nós mesmos. Perceber e encontrar sua própria Verdade através do autoconhecimento é- a meu ver- o ponto central do ensinamento de K.

      Abraços e grato pela participação!

      Excluir
  26. Grande Alsibar como está?

    Iluminado é aquele que sabe sempre e realmente como agir e age como realmente sabe.

    Iluminado tem a capacidade de amar mais os outros do que a ele mesmo.
    O Iluminado ama-se a si próprio por simplesmente ser um meio para os outros.

    Jesus disse: "ama o próximo como a ti mesmo" no entanto, não foi o que fez. Ele entregou-se a Deus que é o rosto dos outros e morreu por "Nós". Ele disse nos essa celebre frase pois observava a conduta do trabalhar para o Eu, deste modo o passo seguinte da humanidade tinha que ser amar o próximo como a nós mesmos.

    Concordo plenamente no que disse sobre o Iluminado: "Ele não quer aparecer, não quer méritos, nem glórias".

    Mas ao observarmos as escrituras parece-me que Jesus pensava ou sabia que tinha uma missão. Nessa missão ele apareceu como revolucionário da verdade, logo não estava... o aparecer, a gloria, o mérito, o reconhecimento ? Não relativamente a ele mesmo, mas sim a Deus.

    São apenas meus pensamentos, pode me dar a sua opinião sincera?

    Grande Abraço
    Rodrigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Rodrigo tudo bem?

      Amigo, o próprio Jesus respondeu sua pergunta ao dizer quetudo o que aconteceu foi para a glória do Pai :

      "“Agora o Filho do homem é glorificado, e Deus é glorificado nele."

      Ou seja, o homem que não vive mais pra si, para seu ego- passa a ser instrumento de Deus. E é este, Deus, Tao, a Vida- que o glorifica. A mesma conclusão chegou Lao Tsé usando outras palavras:

      " Assim é o sábio,
      Encerrando em si a Alma do Uno,
      Se torna modelo do Universo.
      Não dá importância a si mesmo,
      E será considerado importante.
      Não se interessa por si mesmo,
      E será venerado por todos."

      Acho que é isso grande amigo!

      Fraterabraços!
      Excluir
      Responder

      Carregar mais...

      Links para esta postagem

      Excluir