sábado, 2 de março de 2013

UG KRISHNAMURTI: UM NOVO ESTADO DE CONSCIÊNCIA



Upalluri Gopalla Krishnamurti, ou simplesmente UG, foi  um buscador como milhares de outros ao redor do mundo. Passou boa parte da vida procurando a Verdade . Praticou métodos de Ioga, estudou Teosofia e Ocultismo, meditou bastante sob orientação do mestre Sivananda, mas nada parecia satisfazê-lo. Chegou a visitar o mestre advaita Ramana Maharshi e durante muito tempo fora ouvinte assíduo das palestras do grande mestre Jiddu Krishnamurti. Finalmente convenceu-se  que tinha que abandonar tudo e seguir seu próprio caminho. Certo dia, algo inesperado  lhe aconteceu. Isso mudou completamente sua vida e maneira de ser. Ele chamou esse evento de “calamidade”. Outros viram aí o despertar repentino de uma energia poderosa e desconhecida . Seria o despertar da Kundalini? Seria isso o que todos chamam de Iluminação? Nesta palestra antiga e rara, gravada logo após a “calamidade” , UG revela a natureza deste fenômeno, fala sobre os ensinamentos de J. Krishnamurti e demonstra uma visão bastante peculiar sobre assuntos como iluminação, meditação e espiritualidade. Vale a pena  preparar a mente para ouvir algo novo e- talvez perturbador!(Alsibar)

PALESTRA RARA DO FINAL DOS ANOS SESSENTA

Por algum golpe de sorte- ou pela Graça de Deus se você preferir- eu cheguei ou tropecei em um novo estado de consciência. Melhor dizendo, eu despertei para uma maneira totalmente nova de viver. Minha oração costumava ser: “ Oh Deus, caso exista um  Deus, por que me abandonaste?”. Isto agora mudou para algo assim: “ Oh Deus, caso exista um Deus… -aquele pedaço “ caso exista um Deus” ainda continua - “ Por que me escolheste para derramar toda tua graça divina  sobre mim?”.

Mas descrever isso em termos de “Iluminação”, “esclarecimento” ou mesmo pela palavra sânscrita moksha ou libertação, ou mesmo para usar aquelas palavras bonitas “ primeira e última liberdade”, “mutação radical”…  é perder o ponto.
Não é  , realmente, uma revelação  religiosa . Ou mesmo, o que chamamos de “ algo além do intelecto humano”. Não há nenhum mistério nisso. Isto não é a mesma coisa que as pessoas falam: que a apreensão da Verdade espiritual é algo intelectualmente incompreensível.

Não há mistério sobre isto. O que aconteceu comigo é puro e simplesmente um fenômeno físico. De alguma forma, o mecanismo da mente parou. E os sentidos começaram a funcionar , ou operar, de uma forma muito pura e simples. Isto em si mesmo é uma coisa extraordinária. Isto não é uma questão de “iluminação” espiritual ou intelectual - de forma alguma. Ou para usar aquela expressão comum “ algo religioso”.

Não há nada a ser convertido , nenhuma crença, ou nenhum estado monástico. Ou até mesmo se sentar em meditação procurando absorção em Deus, Infinito ou qualquer que seja o nome. Não é uma fábula imaginada ou contada. É um mundo no qual nós mesmos não mais existimos. Não é algo nem explicável, nem  inexplicável. Não há por que se fazer mistério sobre isso. Se tal coisa acontece a um indivíduo, ele não estava diretamente preocupado com a comunhão da alma com Deus ou coisa parecida.
Assim, qual é então o efeito disso sobre o comportamento de um indivíduo?
Isto afeta não somente seu comportamento mas a totalidade do seu ser. Isto pode afetar os outros também? Como diz o provérbio:
“ Você não pode acender uma vela e colocá-la embaixo de um arbusto”.

O que eu penso de Krishnamurti?
Seu estado de ser, seu ser… não deve ser diferente daquele dos sábios, santos e salvadores da humanidade. As abstrações que ele joga para as pessoas, é um tipo de “truque” para levá-lo àquele estado em que a mente pára. Uma parada repentina onde algo pode acontecer. Mas se você apenas repete aquelas frases, isto se torna uma mera tagarelice, uma verborragia, um disparate...Será uma coisa sem conteúdo.
 Você pode, inclusive, citar o Bhagavad-Gíta, a Bíblia ou o Alcorão. Ou qualquer uma das escrituras. Não fará nenhuma diferença. Só mais uma coisa… Um novo conjunto de frases é totalmente necessário para se falar sobre isto. Por que repetir aquelas frases? Por que falar das flores? Onde os olhos as observam e os ouvidos as escutam? Você está  fora de toda esta estrutura, de uma vez por todas.
Você nunca mais fará estas perguntas. 

O que existe por detrás e por baixo daquelas abstrações que Krishnamurti lança pras pessoas? Existe alguma coisa afinal? Como uma visão mental,  uma concepção ou visão mental... uma imagem mental, ou até mesmo como uma expectativa otimista… elas soam maravilhosas. São palavras encantadoras. Mas se você realmente conhecer isso, eu acho que você, talvez , nem vai desejá-lo. É uma dinamite. Não é algo com que se possa brincar.

Como eu sei disso?... Qual é a pergunta?... Eu realmente não sei. Sua conjectura é melhor do que a minha. Se eu lhe disser que é a mesma, qual valor isso tem? Se eu lhe disser que não é a mesma coisa, isso também não terá valor nenhum.
Mas por que coloquei estas questões pra nós? Como podemos saber sobre algo que não é seu, nem de ninguém mais?
Você não tem como sabê-lo, em absoluto.

Com um pouco de sorte, você tropeça nisso. Isto pode ser um negócio completamente desconcertante e intrigante. Você nem mesmo se importa em compará-lo com o de ninguém mais. Não será a mesma coisa, nem chegará a você da forma como você imagina.

O despertar espiritual- ou como quer que você chame isso -não chegará a você da forma que você imagina. Ele chegará contrariando todas suas imaginações. Ele chegará de uma forma muito simples, tranquila e inesperada.
Mas , de qualquer forma, o que é exatametne isso? Pode me dizer o que é isto que você está buscand, o que você quer? Ou você está tentando descobrir? Você pode me dizer?

Mudar  completamente a estrutura e o pensamento da civilização? Não é algo religioso. Isso significa que o próprio fundamento sobre o qual a superestrutura da civilização repousa, deve ser destruido. Isto não pode ser feito de uma maneira fácil. Nem pode ser feito sem uma mudança total em nossa perspectiva intelectual e espiritual.
O sistema educacional deve mudar. Mas não é fácil dizer tudo isso. A não ser que um indivíduo mude, não haverá mudança de forma alguma. E mesmo aquela mudança não pode ser feita através da vontade. E isto requer uma grande cmpreensão. Se fosse tão simples, com todas as descrições que temos nas escrituras hindus e budistas , todo mundo na India teria sido um grande iogue.

Certamente nós temos oito milhões de sadhus rondando todo o país. Há tantas afirmações para isso que você chama de Iluminação Espiritual, que o resultado é que você não sabe o que é  iluminação ou quem é realmente e genuinamente uma alma  que alcançou um autêntico despertar espiritual.

Atualmente, a quantidade de discípulos ocidentais parece ser a medida, da grandeza de um mestre espiritual. Eles tem muitos seguidores, na Europa, na América e no mundo todo, cavalgando ao redor do globo. Falar para estas pessoas se tornou algo muito “chique”.

UG Krishnamurti

Tradução: Alsibar ( se você achou que algo não foi traduzido corretamente, por gentileza, coloque nos comentários sua sugestão- obrigado)
Escute o áudio e assista ao vídeo :


16 comentários:

  1. Muito bom ao meu ver.

    ResponderExcluir
  2. Profundo o Senhor Upalori... Quebra, ruptura, uma flor que coloca por terra toda a arte de cultivar flores... Sua relação com este novo estado me parece das mais autênticas e céticas, das mais brilhantes. Penso na sua luta, especialmente nos nove anos antes da irrupção de seu "estado calamitoso", vagando pelas ruas de Londres (se não me engano) e ensinando a fazer panquecas hindus. Belo texto, rapaz, e obrigado novamente. Namaskar!

    ResponderExcluir
  3. É claramente um "tocar" o espaço além do intelecto; além da lógica. Gostei muito. Obrigado, Alsibar.

    ResponderExcluir
  4. Roberto Cardoso, que honra! Eu que agradeço sua visita e comentário amigo. Seja sempre bem vindo!

    Namastê!

    ResponderExcluir
  5. Meu Caro Alsibar,

    Obrigado por traduzir esse texto, o qual é novo para mim. Trata-se de algum texto talvez sem tradução para o espanhol, pois o que foi traduzido para essa lingua já lí acho que tudo desse, no meu ponto de vista, único mestre - seja lá o que signifique essa palavra - já existente.

    Agradeço profundamente ao velho U.G., onde quer que esteja seus elementos (atomos e moleculas) constituintes atualmente!

    ResponderExcluir
  6. Ola amigo Anônimo tudo bem?

    Senti falta do seu nome no post. Amigo, eu que agradeço suas gentis palavras. Vou tentar traduzir outros, pois seus comentários lisonjeiros me motivaram (rsrsrsrsrs).
    Sim... boa pergunta... pra onde vai os elementos constitutivos de alguém que alcançou o nível de consciência do UG? Boa pergunta!
    Fraterabraços amigo!
    Namastê!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... senti falta do seu nome no post... Você sabe realmente quem sou eu? Como é que soube disso: foi pelo modo de escrever? ou algum programa de seu blog é capaz de comparar quem foi seguidor e saiu através do computador do usuário ou alguma outra forma? ou ainda, você realmente tem poderes de clarividência ou oniciência ou outros parecidos? rsrsr

      Você realmente acredita em níveis de consciência? Em alma, espírito ou ego aparte do corpo?

      Excluir
    2. Não... não sei (rsrsrs). Nem tenho poderes de nada, só de falar, andar, pensar... como todo mundo.
      Sobre sua pergunta... acredito que haja algo que continua sim, mas a grande questão é se a consciência de si se mantém. Ou se há consciência e memória a ponto de se manifestar através de médiuns- como dizem os espíritas. Segundo o Budismo, o "eu" continua mas sofre transformação à medida que transmigra para outros planos, ou até mesmo quando renasce aqui na Terra. Eles usam o exemplo do leite: quando este se transforma em queijo deixa de ser leite- mas é o mesmo leite que se transformou. Ou então da criança que quando cresce se torna adulta- não é a mesma criança pois ela se transformou- mas também não é outra pessoa, pois é a mesma criança que se desenvolveu .
      Segundo o Bardo Todol o livro tibetano dos Mortos, a pessoa fica, como quê dormindo até se reencarnar aqui ou noutro mundo. Essa visão é compartilhada por Sri Yuktéswar em sua descrição sobre a vida após a morte que postei aqui no blog:

      http://alsibar.blogspot.com.br/2013/01/a-vida-apos-morte-tudo-sobre-o-outro.html

      Obrigado por sua participação.

      Namastê!

      Excluir
  7. Um louco ! Esse cara é completamente confuso; uma mistura de insanidade com conceitos e noções das mensagens de grandes mestres que ele não vive. Ele é a antítese de Krishnamurti; este sim, foi um grande ser.

    ResponderExcluir
  8. Uma pergunta: de acordo com o texto do rapaz, não adianta fazer nada, procurar nada, seguir ninguém, pois não esta nas tuas mãos a iluminação acontecer? Aliás, pode nem acontecer iluminação nenhuma. Nada à fazer?
    Dom Vito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Dom Vito tudo bem?

      Para UG , assim como para Ramana e outros mais, tudo já é, tudo já está aqui agora. É como se dissessem: "o que vocês estão procurando? Vocês já são iluminados!" O que nos impede de ver, perceber essa luz é a ideia mental dominante de que existe algum estado a se alcançar ou realizar. E então ele diz que quanto mais esforço fizermos para alcançar esse estado, mais longe dele estaremos, pois "ele" não é alcançado por esforço nenhum, nem é resultado de prática ou método. É um acontecimento que só pode acontecer quando o a mente -e o esforço para transcendê-la- é totalmente abandonado. Mas isto não está sob nosso controle, nem é resultado de nada que se possa fazer de forma direta. Por isso que pode acontecer-ou não.

      Fraterabraços amigo!

      Excluir
  9. Legal al, parece com o que diz R. Balsekar.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Anônimo de 24 de agosto,

    Não é que "pode não acontecer iluminação nenhuma" e sim que NÃO VAI ACONTECER ILUMINAÇÃO NENHUMA. Para U. G. não existem em absoluto iluminação!
    Seu foco principal é para o Estado Natural que existe em cada indivíduo assim como nele, havendo apenas uma pequena diferença entre ele e quase todos os outros seres humanos: nele as maquinações do pensamento não interferem no perfeito funcionamento do corpo. Ele diz que podem continuar surgindo nele "aguas de esgoto" (pensamentos negativos) ou "aguas de colônia", (pensamentos positivos) porém nada faz diferença para a água limpa, o perfeito funcionamento do organismo. Comparando com um automóvel, é como se estivesse sempre com o pé na embreagem, havendo a interferência do pensamento no corpo apenas em situações que o exigissem, situações reais.

    ResponderExcluir
  11. A síntese do seu ensinamento, que ele insiste que não é "ensinamento" algum, é que não existem ego, alma, mente, espírito etc. Tudo isso não é mais que uma ilusória criação do "movimento do pensamento" (isso é crucial em seu ensinamento, existindo uma distinção clara entre o pensamento e o movimento do pensamento) baseada em nosso conhecimento sobre isso. Aliás, seu ênfase constantemente é remarcar que tudo o que observamos e experimentamos é sempre consequência de nossa gama de conhecimento. É o conhecimento que cria nossas experiências.
    Ele afirma categoricamente que a morte não é nada mais que o fim do conhecimento.
    Não vou prolongar mais aqui pois teria muita coisa para explanar e não estou apto a isso.
    Mas em meu caso particular, nunca vi na terra alguém com a sabedoria deste indiano...

    ResponderExcluir