sexta-feira, 6 de abril de 2012

PÁSCOA : QUANDO A RENOVAÇÃO É POSSÍVEL

Páscoa: quando a renovação é possìvel . http://alsibar.blogspot.com
Qual o verdadeiro significado da Páscoa além do apelo comercial e religioso?  Por que é tão necessário  uma mudança profunda em nossa maneira de pensar e agir?  É possível operar esta mudança em nós mesmos ? Qual o caminho da renovação e da transformação interior?É o que vamos refletir no texto abaixo.
Mais uma Páscoa regada a chocolates, pães , peixe, bacalhau, vinho e quase nenhuma reflexão acerca do seu profundo significado. O que seria destas datas comemorativas se não houvesse um forte apelo comercial?  Dificilmente lembraríamos das mesmas. Mas o que realmente nos interessa são as verdadeiras mudanças que tais datas podem trazer em nossas vidas. Não importa a religião em que estamos: cristã, judaica, budista, pagã… a reforma íntima é um imperativo inerente à condição humana. E isso independe de crença religiosa. 

Importa conhecer o verdadeiro significado da Páscoa

          Todos os dias deveriam ser de renovação e reflexão. Afinal de contas, toda manhã é uma nova páscoa que se descortina no horizonte. É a chance disponibilizada pelo o Infinito para que possamos melhorar, transformar… reformar-nos intimamente. Todavia, uma questão sempre presente nestes momentos é : como operar esta transformação? Por que todos os anos prometemos mudanças que nunca chegam? Estas questões me parecem ser cruciais. Vamos refletir um pouco mais sobre as mesmas.
Nossa mente assemelha-se a uma fossa de dejetos e lixos
        Primeiramente imaginemos uma grande “fossa” onde se acumula esgoto, lixo e todo tipo de desejos há anos. No fundo formou-se uma crosta  quase sólida. Como a água não tem para onde escorrer, com o tempo, começará a transbordar. Ora, só é possível  fazer a limpeza da fossa  com  o esvaziamento da mesma não? Isso é muito comum em casas que ainda não tem saneamento básico. Quando ela enche, temos que chamar um serviço especializado  para “esgotá-la” e retirar toda aquela sujeira- só assim ela ficará realmente limpa. Infelizmente, nossa mente muito se assemelha a uma fossa dessas. Lá são derramadas nossas mágoas, angústias, dores e todos os resíduos de pensamentos e experiências. Tudo vai se acumulando ali, como lama parada, até cristalizar-se, formando o EGO.  Apesar de parecermos normais na superfície- no consciente- nas camadas mais profundas acumula-se um verdadeiro lixo psicológico. 
Na mente acumula-se o lixo do passado
      Ora, com a mente assim- poluída e suja de pensamentos e memórias - tentamos realizar a mudança em nossa maneira de ser, pensar e agir. Mas, logo constatamos que pouca coisa pode ser feita. Geralmente, mudamos pequenos hábitos como, por exemplo:  deixar de beber, fumar, tomar drogas e outros costumes prejudiciais à saúde e ao convívio social.  E após esses ajustamento ao status quo social, nos consideramos libertos ou transformados. Tais mudanças são importantes por representar um certo avanço do indivíduo em direção à sua própria evolução e amadurecimento. Mas o ajustamento ao social cuida apenas do nível superficial, do que está visível.  Mas é justamente no invisível e profundo, que tem de ser feito um grande trabalho de limpeza e renovação.
Temos que descer às camadas mais profundas do inconsciente
       Dizer que algo está nas  “camadas profundas do inconsciente”, significa que  a pessoa está inconsciente dos motivos ocultos que determinam seu pensar, agir,  sentir e viver. E essa  “descida” para  conhecer esse mundo desconhecido  é fundamental para que haja uma verdadeira mudança no sujeito. Do contrário, estaremos nos auto-enganando e iludindo. Por isso é tão importante o autoconhecimento. De nada vale rezar se maltrato minha família, meus amigos e meus subordinados. De nada vale falar em “paz” se mantenho disputas e divisões que provocam violência- sejam elas de raça, cor, religião, futebol, partidos etc. De nada vale falar em "amor" se dentro de mim existe o impulso da competição, da ganância, da busca e da autoproteção psicológica. Muita gente fala em virtudes, mas se o sujeito não está consciente de si, não perceberá suas próprias contradições. Praticar o que se ensina já faria uma enorme diferença no mundo.
Muita gente prefere não ver a realidade
    Mas como ficarmos consciente de nossas atitudes? Como perceber nossas próprias contradições internas? Além disso, queremos ver nossas contradições? Muita gente não. Muitos preferem viver de ilusões. Assim mantém-se numa condição psicologicamente confortável e segura. A tal "zona de conforto". Se recusam a sofrer o choque de ver sua própria realidade. Desta forma, passamos uma vida tratando de mudanças superficiais e periféricas, sem nunca tocar no centro, na verdadeira raiz do problema. Por isso, todos os anos é a mesma coisa:  Natal, Ano Novo, Páscoa… e o velho padrão mecânico continua por anos, décadas,  séculos e milênios…

      Temos que perceber algo muito simples: se em nossa mente se acumula a sujeira e o lixo do passado como podemos limpá-los ou, pelo menos, reciclá-lo? Como se libertar da crosta profunda do egoísmo, das mágoas, da dor, dos traumas, das memórias, das experiências etc que condicionam e influenciam nosso presente agir? Certamente não será pela leitura de livros. Nem pelos cursos,  canudos e títulos que conferem reconhecimento. Não será também pelo dinheiro, nem pelo poder. Nem mesmo a religião poderá provocar essa mutação essencial. A religião talvez possa nos indicar o caminho- em alguns casos raros. Mas, em geral, ela, em si não traz a mudança, sendo ela mesma um fator de manutenção da desagregação e do caos . O que poderá nos trazer a mudança então? 
Meditação e Autoconhecimento é o caminho para a mudança
    Certamente só há um caminho... só há uma direção: ir para dentro, meditar, se autoconhecer. Meditação sem autoconhecimento torna-se uma droga psicológica. Autoconhecimento  e meditação caminham paripasso - pois no momento em que me observo- medito.  Mas, perguntarão alguns,  por que eu medito e não vejo mudança nenhuma? A provável resposta será porque não estás meditando corretamente. A verdadeira meditação alcança os níveis mais profundos do ser. Como uma poderosa sonda que desce ao fundo do mar e descortina seus mistérios insondáveis - a meditação faz o mesmo conosco. 
Meditar não é dopar-se, nem hipnotizar-se

               Mas o fato é que muitas pessoas não estão meditando corretamente. Algumas, estão se dopando ou se auto-hipnotizando. E isso pode até trazer uma certa calma  aparente e transitória inicial. Todavia, a verdadeira meditação  é dolorosa por desencadear um processo de limpeza e libertação. O EGO sofre pois está sendo abalado em sua estrutura. Temos que lembrar que estamos removendo o lixo em que nos tornamos. E isso não é prazeroso. Muita gente, por medo ou covardia, quer distância da verdadeira meditação , preferindo técnicas que lhes levem a sonhar e dormir mais ainda.
Que a Luz do Cristo nasça em nossos corações
            Que nesta Páscoa a Luz do Cristo possa nascer dentro de nós.   A luz do Amor e da verdadeira Paz. E que possamos compreender que assim como o alimento e a água são fundamentais à manutenção do corpo físico, assim também o espírito necessita da Luz da Meditação e do Autoconhecimento para  limpar-se , transformar-se e renovar-se. Sem esta compreensão, do que valerão  os rituais e os símbolos? Apenas costumes vazios, sem brilho e sem vida. Que a nossa vivência fortaleça o verdadeiro espírito das  datas comemorativas e que possamos refletir , compreender e viver  o significado profundo das mesmas em nossos corações e relacionamentos .
Feliz Páscoa a todos!
Alsibar
http://alsibar.blogspot.com

6 comentários:

  1. Obrigado pela gentileza! Namastê!

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo José Cordeiro , muito grato por suas palavras e visita. Namastê!

    ResponderExcluir
  3. Texto como esse ainda causa incômodos e se causa... fica o alerta!

    Desejo a você uma Feliz PÁZcoa!

    Boa noite, Namastê

    ResponderExcluir
  4. Ola "amor em grãos"... fico feliz que tenhas entendido. Ótima Páscoa pra vc também. Obrigado pela visita e participação. Namastê!

    ResponderExcluir