sábado, 16 de julho de 2011

KRISHNAMURTI NÃO “PROPÕE O NÃO FUNCIONAMENTO DO CÉREBRO”



Ao navegar pela Internet, deparei-me estupefato, com um blog com o seguinte título “ Jiddu Krishnamurti e a Teosofia : o avatar que propõe o não-funcionamento do cérebro”. Por que alguém escreveria isso? Seria capacidade extrema de deturpar as coisas, ou mediocridade mesmo? O grande místico e pensador indiano, onde quer que ele esteja, deve estar desconsolado ao perceber que apesar de tantos registros ainda haja espaços para deturpações do que ele pregou.
Krishnamurti nunca pregou o não-funcionamento do cérebro. Isso seria  um absurdo. Um disparate . K. prega exatamente o contrário. Segundo sua abordagem, utilizamos uma parte ínfima do nosso cérebro. A outra parte não se manifesta devido às limitações impostas pela memória reativa, pensamentos e condicionamentos. Não preciso citar nenhuma fala sua para fundamentar isso. Quem quiser vá diretamente à fonte. Há vários sites, livros,  blogs e até vídeos onde o pesquisador sincero poderá tirar suas próprias conclusões. 


O ensinamento de K. não difere de outros grandes iluminados - nem mesmo de Krishna no Bhagavad-gita. Para ele, o pensamento reativo e automático deve cessar completamente , só assim é possível nascer a verdadeira compreensão e percepção. É bom lembrar que os pensamentos não são a mente. São apenas parte dela, uma pequena parte. E essa cessação não  se dá por obra do próprio pensamento – o que seria uma contradição. Ele afirmou, ainda, que apenas no silêncio, no espaço e na tranquilidade o Desconhecido, a Verdade ou Deus, poderá se manifestar. Obviamente, a essência deste posicionamento não difere em nada de outros grandes iluminados. O silêncio afigura-se como condição necessária à elevação da consciência- isso é unanimidade desde Buda a Babaji. Mas, significa que não devo nunca mais pensar? Obviamente que não é assim. JK esclarece-nos que o pensamento é extremamente necessários para coisas técnicas do dia-a-dia.  Como, por exemplo, para se ensinar matemática, física , história, para se construir uma ponte, um computador, lembrar, raciocinar, refletir etc. O "xis" da questão  está em aprendermos a colocar as coisas em seus devidos lugares. Assim, o problema aparece quando o pensamento tenta alcançar o que está além dele – o Sagrado, o Atemporal. E isso é impossível. Por definição, o que é limitado só pode atuar dentro do seu próprio campo de limitação. Por sua vez, o Ilimitado só se manifesta quando a mente se encontra em total estado de paz, tranquilidade, silêncio. Neste estado, característico da meditação , há somente um sentido de liberdade e de espaço sem limites. E é aí que o Desconhecido pode vir à tona.
Espanta-me a capacidade humana de destruir o que é sagrado e deturpar o que é verdadeiro. Outro dia, vi uma discussão desse tipo em um fórum  no próprio site oficial da instituição representa K. no Brasil. Discutia-se se  K. acreditava ou não em reencarnação. O grupo dividiu-se. Uns defendiam que sim, e citavam  frases ditas por K.. Outros diziam que não e usavam os próprios  argumentos de K. para fundamentar sua tese. O que espanta-me é que faz poucos anos que K. deixou esta terra. Tudo que ele disse está registrado, então, como pode haver tanta polêmica sobre seus ensinamentos? Imagina então o que aconteceu com Jesus, Buda e tantos outros, numa época em que  quase não havia registros escritos, limitando-se à tradição oral, transmitida por memória?.


Para mim, tais discussões são infantis e infundadas. Não precisamos discutir o que K. defendia ou não . Isso é coisa dos fundamentalistas. Mas também não podemos afirmar absurdos sobre aquele que foi um dos mais importantes iluminados do século XX. Sua contribuição para o desenvolvimento da percepção humana, espiritualidade e autorrealização é incontestável e inestimável. Façamos nossa parte. Investiguemos se  o que ele disse era verdadeiro ou não.  A Verdade está aí disponível para todos. Mas é relativamente fácil ficar horas e horas discutindo sobre as palavras de K. Difícil é  viver o que ele pregou . Seus ensinamentos nos levam a um estado de Independência e Liberdade que poucos tem coragem de enfrentar e viver. Infelizmente, parece que poucos estão dispostos a viver seu "ideal" de liberdade onde todos deveriam se tornar uma luz para si mesmos.
Não citarei o site por pura ética. Não quero repetir o mesmo erro dos outros. Coloquei um comentário no site, dando minha opinião, mas o mesmo não foi postado pelo dono do blog. Uma postura nada democrática. Própria dos espíritos medíocres e inseguros que não aceitam a discussão e o debate de ideias. Essas posturas são comuns, mas não deixam de nos entristecer e indignar. Por isso,  agora que criei meu próprio espaço para discussões, aproveito e para fazer minha parte na defesa de um homem que dedicou toda  sua vida ao despertar espiritual da humanidade. E que nunca, jamais, disse que o cérebro não deveria funcionar. Se não, não seria um iluminado, seria um tolo.
Alsibar
 http://alsibar.blogspot.com
msn:alsibar1@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário